top of page

Sommelier indica três tendências do mundo dos vinhos destacadas na Wine Paris 2024

Sommelier indica três tendências do mundo dos vinhos destacadas na Wine Paris 2024
Wine Paris 2024: uma das maiores feiras de vinhos do mundo

Após participar de feira de vinhos na França, especialista da MMV Importadora trouxe algumas tendências que estarão presentes no mercado nacional de vinhos este ano


O consumo de vinhos no Brasil tem aumentado consideravelmente nos últimos anos, com mais de 500 milhões de litros vendidos e um faturamento que superou os R$ 20 bilhões em 2022, de acordo com dados da Winext. Apesar desse crescimento, o consumo per capita no país ainda é baixo, em torno de 2.4 litros, o que coloca o Brasil na 33ª posição no ranking global.


Para acompanhar as tendências em constante evolução do mercado, Jonas Martins, representante da MMV, compartilha algumas previsões para 2024 e como a empresa tem se preparado para atender à demanda. Recentemente, Martins esteve na Wine Paris 2024, uma das maiores feiras de vinhos do mundo. A participação da empresa brasileira na Wine Paris trouxe oportunidades para expandir sua rede de contatos e buscar novos fornecedores, dada a presença de produtores de diversos países no evento.


Sommelier indica três tendências do mundo dos vinhos destacadas na Wine Paris 2024
Jonas Martins

A empresa foi uma das 20 selecionadas em todo o mundo para receber uma viagem patrocinada pela Business France, ligada ao consulado francês no Brasil. A Wine Paris é conhecida por sua relevância no cenário vinícola, especialmente por ser sediada na França.  

Com sete pavilhões repletos de produtores de todo o mundo, a Wine Paris oferece uma variedade de vinhos e destilados, desde os clássicos franceses até os exóticos vinhos da Geórgia e do Líbano. 


“A participação da MMV na Wine Paris não apenas consolidou sua posição como uma importadora de destaque, mas também abriu novas perspectivas para o futuro, demonstrando seu compromisso em oferecer aos consumidores brasileiros uma seleção diversificada e de alta qualidade de vinhos de todo o mundo”, explica Jonas Martins.

Explorando os insights obtidos durante sua participação na Wine Paris, ele direcionou seu olhar para o mercado brasileiro, buscando compreender as perspectivas para 2024.


Mercado de Vinho Doce e Suave: quebrando alguns mitos


Quando se fala em vinho doce e suave, normalmente “se torce o nariz”. Embora muitas vezes o vinho doce e suave seja visto com certo preconceito no mundo dos vinhos, ele ainda desempenha um papel importante no mercado brasileiro.

Martins observa uma demanda constante por vinhos mais acessíveis e leves, como os vinhos de colônia elaborados com uvas americanas. A MMV está atenta a essa demanda e planeja ampliar sua linha Felitche, produzida em parceria com vinícolas chilenas. Novos rótulos, como o Felitche Chardonnay e o Felitche Pinot Noir, ambos na categoria suave, estão previstos para serem introduzidos no mercado nacional.


“Esses vinhos serão posicionados com um preço acessível, em torno dos quarenta reais, visando oferecer qualidade a um custo acessível. Além disso, investimos em uma apresentação bem impactante, com um rótulo super legal. E que fique claro que existem muitos vinhos suaves de excelente qualidade”, reforça o sommelier.


Retorno aos Clássicos


Outra tendência observada é o retorno ao consumo de vinhos clássicos, como champanhes franceses e vinhos das regiões de Bordeaux e Borgonha, além da busca por vinhos italianos, como Barolo e Brunello Di Montalcino.


Por isso,  a MMV tem selecionado produtores  da França e da Itália para oferecer aos brasileiros uma seleção diversificada de vinhos clássicos de alta qualidade.Além disso, a empresa participa de outra feira na Itália, também com o objetivo de buscar contato com novos produtores e vinhos clássicos que podem se adequar ao mercado nacional.


Busca por Produtos de Qualidade a Preços Acessíveis


Além de se concentrar em vinhos clássicos a MMV procura diversificar as opções para os consumidores brasileiros. A empresa recentemente importou vinhos da Espanha, como os produtores Fillaboa, Murua e o Bodegas Valdrinal; e os vinhos da Hãhã Wine Company da Nova Zelândia, preenchendo uma lacuna no mercado e oferecendo aos consumidores alternativas de alta qualidade. Além disso, a empresa está explorando a possibilidade de importar vinhos da África do Sul e da Califórnia, visando completar seu portfólio com vinhos do "novo mundo".


"Estamos buscando produtores da África do Sul, que enfrentam desafios semelhantes aos da Nova Zelândia em termos de variedade limitada, e também estamos explorando a possibilidade de trabalhar com produtores da Califórnia. Muitas vezes, esses vinhos não chegam ao mercado internacional devido à alta demanda interna, com a maioria dos produtores focando principalmente no mercado interno", explica Martins.

Na avaliação do sommelier, todos os esforços da MMV têm um propósito claro: desfazer alguns mitos que existem no mercado de vinhos. Principalmente, buscam desconstruir a ideia de que a apreciação de bons vinhos é algo elitizado e caro. Na prática, a empresa se empenha em oferecer rótulos de qualidade a preços acessíveis, tornando essa experiência mais democrática e acessível a todos os consumidores.


Mais informações: https://www.mmvinhos.com.br/


Sommelier indica três tendências do mundo dos vinhos destacadas na Wine Paris 2024

Fonte: Engenharia de Comunicação

@engenharia.de.comunicacao


47 visualizações0 comentário

Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page