top of page

Vinho e Corrida: harmonização perfeita


wine run
foto: divulgação Wine Run

A ideia de que vinho faz bem pra saúde é muito difundida, é comum ouvirmos que “uma tacinha por dia” previne diferentes doenças, mas nem sempre sabemos o porquê. Alguns acabam assumindo que o ritual da taça é suficiente – mas a realidade é um pouco diferente.

Sentar e degustar um rótulo é certamente prazeroso, mas se você busca benefícios expressivos, precisa integrá-lo a um estilo de vida saudável, principalmente através do exercício físico.


O vinho é uma excelente fonte de antioxidantes – moléculas que reduzem o dano celular e ajudam a prevenir doenças.  Ele também tem propriedades anti-inflamatórias, que reduzem o risco de doenças crônicas.


Caroline Dani, biomédica com pós-doutorado pela Georgetown University, explica que os polifenóis presentes no vinho com ação anti-inflamatória auxiliam na recuperação após atividade física.


“Além disso, o vinho tem um potencial de ação vasodilatador que pode ajudar no aporte de sangue na hora da prática de exercício físico, que também pode ter efeito benéfico” aponta Dani.


Mas ele não faz todo o trabalho sozinho, e o seu consumo em excesso pode causar diversos danos à saúde. O segredo – em tudo na vida, aliás – está na moderação, e na qualidade da atividade física que você faz, como em uma harmonização.


As maratonas de vinho


wine run
foto: divulgação Wine Run

Pensando nisso, alguns eventos pelo país já unem as duas atividades: beber vinho e praticar exercício físico. As chamadas maratonas do vinho concentram amantes da bebida que também são entusiastas da prática esportiva.


Em janeiro de 2024 aconteceu a 2ª Corrida do Vinho Vale das Colinas, em Garanhuns (Pernambuco), uma prova que teve 350 inscritos, que fizeram percursos de 6 quilômetros e 12 quilômetros.


wine run

“Tivemos um aumento de mais de 100% no número de participantes em relação ao ano anterior”, afirma Danielly Martins, educadora física e administradora da empresa Corra+ Eventos, organizadora da corrida. “Além da diversão e do exercício, os atletas puderam degustar os rótulos da vinícola Vale das Colinas“, completou.


Os formatos, entretanto, variam. Em alguns casos as provas são organizadas de forma que os participantes possam parar para se hidratar em estações de vinhos ao longo do percurso, enquanto outras são mais focadas na contemplação da natureza e degustações após a prova.


Wine run
foto: divulgação Wine Run

A Wine Run, maratona de vinho mais tradicional do Brasil, celebra sua décima primeira edição no ano de 2024.


Sergio Oprea, diretor da Zenith Marketing Esportivo, empresa responsável pela realização do evento é um profissional com mais de duas décadas de experiência na área. Sua percepção de mercado permitiu identificar uma oportunidade na maior região produtora de vinho no Brasil, o Rio Grande do Sul, para lançar o projeto que foi inspirado em corridas semelhantes que acontecem nos Estados Unidos e Europa. “A Wine Run começou como uma maratona onde os participantes poderiam desfrutar de paisagens encantadoras e saborear vinhos excepcionais”, explica Sergio. “Nós fomos pioneiros nessa abordagem temática no Brasil”.


A corrida que proporciona uma experiência única aos participantes, se adaptou e evoluiu ao longo dos anos. “Desde o início tivemos grandes desafios, fossem logísticos, lidando com os diferentes percursos, até a necessidade de transporte eficiente para os atletas”, explica.


Oprea destaca, entretanto, que o resultado da iniciativa vai além da experiência dos corredores: “Temos um impacto significativo na região do Vale dos Vinhedos e Caminhos de Pedra. Envolver empresas do entorno e a comunidade na organização do evento é uma prioridade, isso impulsiona a economia local, beneficiando restaurantes, hotéis e vinícolas”.

Mas o projeto também pretende expandir suas fronteiras além do Rio Grande do Sul.


“Estamos planejando estender o circuito para outras regiões vinícolas no Brasil, incluindo Santa Catarina e Bahia. Nosso objetivo é criar um circuito com quatro provas, levando essa experiência única a mais pessoas”, anuncia o produtor.


Além da Wine Run outros eventos do gênero acontecem no Brasil, como a Maratona do Vinho, em Bento Gonçalves; as 10 Milhas Borbulhantes de Garibaldi; e a Corrida do Vinho, no Vale do São Francisco.


A maratonista que ama vinho


Wine run
Daniela Santarosa na Wine Run (foto: arquivo pessoal)

Na conclusão desta reportagem sobre vinho e exercício físico, voltamos nossa atenção para uma figura que inspira no mundo do atletismo: Daniela Santarosa. A maratonista de 47 anos trabalhou duas décadas como jornalista, mas hoje se dedica à educação física e é proprietária de uma academia em Porto Alegre (RS).


Com mais de 40 maratonas e 20 ultramaratonas realizadas, Daniela certamente sabe da importância do equilíbrio entre treinamentos rigorosos e momentos de prazer. “Degustar um vinho não é apenas um lazer, é quase uma religião para mim”, explica a maratonista. “O consumo moderado de vinho faz parte da minha rotina”, completa.


Além disso, ela enfatiza a importância da nutrição adequada e hidratação durante os treinos, e lembra que negligenciar esses aspectos pode ter consequências graves. “Correr uma maratona é um esporte diferente, exige um planejamento muito cuidadoso.”

 

Sobre as maratonas de vinho, Daniela pensa que a tendência de unir esporte com gastronomia é uma forma de atender àqueles que amam correr, mas não querem abrir mão dos prazeres da vida.


E de maratonas de vinhos ela entende muito bem, Santarosa já foi duas vezes vencedora da Wine Run e madrinha da Grape Tea Country Run, dois eventos que são marcados pela atmosfera única dos vinhedos, com uma celebração pós-corrida com comida e vinhos de qualidade. “Correr em um cenário como o Vale dos Vinhedos é mágico”, diz ela.


O papel do vinho no seu ritual de preparação é sagrado: a maratonista diz que “não sabe como é correr sem ter bebido uma taça na noite anterior da prova” pois isso a ajuda relaxar e dormir melhor. Mas adverte que a prática não é para todos: “eu nunca recomendaria para quem não está acostumado”.


Ela acredita que um dos poderes das corridas de vinho é atrair um público mais amplo, incluindo aqueles que são mais sedentários ou consideram exercícios físicos entediantes. “Podemos mostrar que é possível estar em forma e ainda assim desfrutar de boa comida e bons vinhos”, conclui a maratonista.


Quem quiser saber mais sobre o estilo de vida, conquistas e projetos da maratonista, pode entrar no perfil da atleta no Instagram, onde conta suas aventuras, descobertas e aprendizados no mundo da corrida clicando aqui.

 

Para acompanhar estes e outros eventos, acesse a agenda do Brasil de Vinhos aqui.



12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page